VÍDEO: POR QUE NOS PARECE QUE NADA DA CERTO

Você está em: Página inicial / Matérias: / Plantas Aquática / Vitória Régia – Victoria Amazonica
Vitória Régia – Victoria Amazonica

Matéria: Vitória Régia – Victoria Amazonica

Autor - Fonte: Equipe Floresbella


É uma planta aquática da família das Nymphaeaceae, nativa na região amazônica e considerada a maior planta aquática do mundo, suas folhas são muito ornamentais e as flores, que estão entre as maiores da América, na Vitória Régia, as flores surgem só ao entardecer, nos meses de janeiro e fevereiro surgem brancas e desabrocham à noite. Assim que as flores se abrem, seu forte odor atrai os besouros polinizadores da espécie Cyclocefalo casteneaea, que a adentram e nelas ficam presos.

Depois de polinizada, a flor vai mudando de cor até atingir uma tonalidade rosa escuro. A planta apresenta espinhos na base que servem como defesa contra predadores.

Ela possui uma grande f
lha em forma de círculo, que fica sobre a superfície da água, e pode chegar até 2,5 metros de diâmetro e suportar até 60 quilos se for bem distribuído em sua superfície.

Hoje existe o controle por novas tecnologias (adubação e hormônios) em que é possível controlar o tamanho dos pratos (as grandes folhas) sendo utilizada no paisagismo urbano, tanto em lagos quanto em espelhos d água.

Rios não muito profundos são os ambientes preferidos dessa planta, muito encontrada no Norte do Brasil.

A folha da Vitória Régia é cheia de nervuras, que ajudam a planta a ser bem resistente.

A planta ganha equilíbrio e é sustentada por longas hastes espinhentas, que espantam peixes predadores.

Como a Vitória Régia – Victoria Amazonica se reproduz

A Vitória Régia é uma planta aquática colossal, tem a maior folha do reino vegetal, cresce extremamente rápido, até 25 cm por dia, é forte o bastante para suportar até 60 kilos sobre sua folha.

A forma que ela se reproduz é muito interessante, as flores de cores diferentes são um sinal da sua reprodução: Quando a noite cai, a temperatura interna da flor sobe até 10 graus acima da temperatura ambiente, isso faz a flor se abrir. A flor branca é fêmea e não produz pólen, mas produz um cheiro forte que lembra o abacaxi, esse cheiro forte atrai um pequeno besouro de 2cm de comprimento, ele é um dos principais polinizadores da Vitória Régia, ele entra no coração da flor fêmea trazendo pólen coletado da flor macho.

Perto do amanhecer a flor se esfria e se fecha qualquer besouro dentro dela fica preso, isso não é um problema para ele, ele fica protegido de predadores e do calor do dia e ainda se deliciando do néctar. Enquanto o besouro come o néctar, o pólen que ele carrega no corpo, cai sobre as partes reprodutivas da flor, acontece então uma transformação mágica, a flor branca fica rosa e muda de fêmea para macho, assim ela pode produzir seu próprio pólen.

Quando a noite cai, a flor se abre, o besouro que estava dentro dela escapa, agora carregando o pólen masculino e a procura de outra flor fêmea com aroma doce. Após a polinização, a flor rosa vai morrer e afundar na água, sua semente fertilizada vai germinar e amadurecer para repetir a transformação mágica da vitória régia no próximo ano.


Política de Privacidade
Política de Cookie
Busca Google
WhatsApp: (11) 9 8104 7797