VÍDEO: POR QUE NOS PARECE QUE NADA DA CERTO

Você está em: Página inicial / Matérias: / Plantas e Jardim / Como fazer Biofertilizante
Biofertilizante

Matéria: Como fazer Biofertilizante

Autor - Fonte: Equipe Floresbella

Em um recipiente, que pode ser um garrafão de água de 20 litros, coloque 50% de esterco bovino fresco, adicione mais 50% de água não clorada.

Esta água não clorada pode ser de fontes, poços, ou água de chuva.

Também pode usar a água comum da torneira, deixando-a descansar em um balde destampado por 24 horas para ocorrer a desclorificação.

Misture bem o esterco com a água, e deixe fermentar naturalmente. Este recipiente deve ser hermeticamente fechado, pois caso houver alguma entrada de ar, o oxigênio interromperá o processo anaeróbico envolvido na produção deste fertilizante.

No processo de fermentação, se formará o gás metano, o que pode acumular e provoc
r explosão. Assim, use uma mangueirinha na tampa do recipiente. A ponta desta mangueira deve ficar dentro de uma garrafa pet com água.

A finalidade da mangueirinha é deixar escapar o gás metano, sem deixar entrar para o recipiente o oxigênio. Trata-se de um selo d água, ou válvula de alívio. Para proteger o meio ambiente, este gás pode ser eventualmente queimado.

Após 30 dias, o biofertilizante estará pronto para uso. Se a opção for pulverizar as plantas, o produto deverá ser coado, evitando assim o entupimento do bico do pulverizador. As pulverizações deverão ser feitas a cada semana ou 15 dias, dependendo da necessidade das plantas.

O Biofertilizante poderá também ser usado na irrigação das plantas. Os intervalos são os mesmos, ou seja, a cada uma semana ou duas. A concentração ideal é de 25 a 30% de Biofertilizante para 70 a 75% de água. Então, para cada 10 litros de água, use 2,5 a 3 litros do Biofertilizante.

O Biofertilizante também pode ser utilizado puro, sem diluir, na terra dos vasos por exemplo. Adubando a terra com o Biofertilizante e deixando de 4 a 5 dias descansando antes de acomodar a planta, o Biofertilizante elimina as bactérias e fungos nocivos que por ventura possam estar contaminando o substrato, além é claro, de enriquecê-lo com nutrientes para as plantas.


Política de Privacidade
Política de Cookie
Busca Google
WhatsApp: (11) 9 8104 7797