VÍDEO: POR QUE NOS PARECE QUE NADA DA CERTO

Você está em: Página inicial / Plantas e Jardim / Guia de Plantas Visitadas por Abelhas na Caatinga Página 3
Guia de Plantas Visitadas por Abelhas na Caatinga

Livro: Guia de Plantas Visitadas por Abelhas na Caatinga Página 3

Autor - Fonte: Diversos

Ir para a página:
...em frutos que são utilizados por toda a cadeia alimentar. Preservar
estes recursos, e restaurá-los onde desapareceram, faz parte das responsabilidades sociais da atualidade.
A jandaíra é uma das abelhas nativas do semi-árido mais utilizadas pelo homem da caatinga. O Padre Bruening, que escreveu sobre ela3, dizia que Sempre houve mais jandaíras que nordestinos, mais casas de abelhas
indígenas que casas de aborígenes na caatinga. O corte indiscriminado de árvores, por exemplo, a imburana, a catingueira, o angico, a baraúna, que servem como local de nidificação para estas abelhas, ameaça a sobrevivência da jandaíra, adaptada às condições climáticas locais. Assim, também, nterfere nesse processo a ausência das árvores cujas florações no período da seca alimentam as abelhas, dentre elas, o angico, a aroeira, o cajueiro, o umbuzeiro, a carnaubeira, o juazeiro. Para produzir o mel, o meliponicultor precisa cuidar das plantas que servem de alimento para as abelhas, e das que são usadas como moradia.
Com o trabalho das comunidades no plantio de árvores para as abelhas, estaremos formando cidadania e redesenhando o caminho da sustentabilidade local, com foco em um futuro melhor. Cada vez mais é necessária uma ação combinada de boa governança, bom manejo e participação popular, com o vigor das interações entre os vários segmentos da sociedade, para a valorização do conhecimento. Um novo modelo de desenvolvimento vai estimular o ciclo da vida, em vez de impedi-lo. Afinal, a biodiversidade está no coração do desenvolvimento
econômico e social.

ARVORES 11

Esquema da polinização: os grãos de pólen (contêm os gametas masculinos) de uma flor são transportados para o estigma (parte feminina) de outra flor. Esquema de Bruno Nunes Silva.
Forma de crescimento comum em plantas

ÁRVORES 12

ÁRVORES 13
O cajueiro é uma árvore comum em pequenos pomares, nas cidades e também muito cultivada em quase
todo o país. O seu fruto verdadeiro é a castanha, um fruto seco muito apreciado no Brasil e no exterior.
O “caju” é um pseudofruto, carnoso, suculento e muito rico em fonte de vitamina C, utilizado principalmente na produção de sucos e doces.
Suas inflorescências são formadas por flores vermelhas, pequenas e perfumadas. O néctar é o recurso mais atrativo para os polinizadores, embora o pólen também seja coletado por algumas espécies de abelhas. Abelhas solitárias do gênero Centris, também conhecidas como abelhas coletoras de óleos, são os principais polinizadores do caju. Espécies de abelhas sem ferrão como a abelha jandaíra (Melipona subnitida) também coletam néctar nas flores do cajueiro.
As abelhas do gênero Centris necessitam de óleo para construírem seus ninhos e alimentarem suas crias. Portanto, para garantir a presença dessas abelhas em grandes áreas de cultivo de caju, recomenda-se o
plantio de espécies fontes de óleos florais como a acerola (Malpighia emarginata).

Anacardiaceae
Anacardium occidentale L.
Biomas de ocorrência: Caatinga, Cerrado, Mata Atlântica, Pampa, Pantanal, Amazônia
Período de floração: estação seca

CAJUEIRO
Referências bibliográficas: 8,9,13,15
Anacardium occidentale

ÁRVORES 14 ÁRVORES 15

No nordeste do Brasil, a aroeira é uma árvore muito conhecida devido às suas propriedades farmacológicas, sendo considerada uma das principais plantas medicinais da região.
Durante o período de floração sua copa encontra-se completamente sem folhas, coberta apenas por
flores. Suas inflorescências formam cachos com flores amarelas, pequenas e perfumadas. Suas flores
produzem néctar em abundância que atraem muitas espécies de abelhas nativas. O mel produzido através do néctar de aroeira é saboroso e muito apreciado por todos. Além do néctar, as flores masculinas possuem anteras vistosas que disponibilizam pólen para as abelhas. A resina, proveniente das lesões das cascas, também é col...
Ir para a página:

Política de Privacidade
Política de Cookie
Busca Google
WhatsApp: (11) 9 8104 7797